Tipos de anestesia

Os tipos de anestesia: geral, raquidiana, peridural e local

A anestesia bloqueia temporariamente a capacidade do cérebro de reconhecer um estímulo doloroso

A anestesia é um procedimento médico de extrema importância, essencial no momento de qualquer cirurgia. A anestesia bloqueia temporariamente a capacidade do cérebro de reconhecer um estímulo doloroso. Dessa forma os médicos podem realizar cirurgias e outros procedimentos invasivos sem que o paciente sinta dor.

Dor

A dor é um dos mecanismos de defesa do corpo humano mais importantes, sendo ativada toda vez que um tecido nosso esteja sofrendo algum tipo de estresse. Por pior que a dor seja, ela é extremamente necessária para nos avisar que o nosso corpo está sendo atingido.

Para podermos sentir dor, é preciso haver receptores para identificar lesões dos tecidos e nervos sensitivos, capazes de transportar a sensação de dor até o nosso cérebro.

A pele, por exemplo, possui milhares de nervos sensitivos capazes de reconhecer eventos traumáticos mínimos. Quando esses nervos são ativados, eles enviam sinais elétricos em direção à medula espinhal, que, por sua vez, transporta-os para o cérebro, onde a sensação de dor é reconhecida.

Como bloquear a dor

Para que a dor seja bloqueada, existem três pontos que devemos atingir:

1. No local exato onde a dor está ocorrendo, através do bloqueio dos receptores presentes na pele.

2. Na medula espinhal, bloqueando o sinal doloroso e impedindo que o mesmo continue seu trajeto chegando ao cérebro.

3. No cérebro, impedindo que o mesmo reconheça os sinais dolorosos que chegam.

Esses são os mecanismos básicos da anestesia local, regional e geral, respectivamente.

A diferença da anestesia geral, regional e local

Nos procedimentos simples, nos quais apenas uma anestesia local é necessária, o objetivo do procedimento é apenas cortar a dor. Já em casos de cirurgia, principalmente as de grande porte, o procedimento anestésico também tem outras funções, como bloquear a musculatura do paciente, impedindo que ele se mexa durante a cirurgia e também provocar amnésia, fazendo com que o paciente não se lembre dos acontecimentos durante a cirurgia.

Anestesia geral

A anestesia geral é indicada para as cirurgias mais complexas e de grande porte.

Na anestesia geral, o paciente fica inconsciente, como se o corpo fosse temporariamente desligado, incapaz de se mover e, habitualmente, intubado e acoplado a um respirador artificial.

É comum as pessoas terem medo da anestesia geral, por acharem que é um procedimento perigoso, mas a realidade não é essa. Em pacientes saudáveis, a taxa de complicação da anestesia geral é de apenas 1,4 para cada 1 milhão de cirurgias.

Anestesia regional

A anestesia regional é um procedimento usado em cirurgias mais simples, onde o paciente pode permanecer acordado.

Este tipo de anestesia bloqueia a dor em apenas uma determinada região do corpo, como um braço, uma perna ou toda região inferior do corpo, abaixo do abdômen.

Os tipos de anestesia regional mais usados são:

Anestesia raquidiana, raquianestesia ou raqui

Na raquidiana uma agulha de pequeno calibre é inserida nas costas, de modo a atingir o espaço subaracnoide, dentro da coluna espinhal. Em seguida, o anestésico é injetado de uma única vez dentro do líquido espinhal (liquor), produzindo dormência temporária e relaxamento muscular. A raqui é muito usada para procedimentos ortopédicos de membros inferiores e para cesarianas.

Anestesia peridural

A anestesia peridural é muito semelhante a raqui, porém com algumas diferenças: o anestésico é injetado na região peridural, que fica ao redor do canal espinhal, e não dentro, como no caso da raqui. Na peridural, o anestésico é inserido por um cateter, que é implantado no espaço peridural e o anestésico fica sendo administrado constantemente através do cateter, além de ser uma quantidade maior do que na raqui. A anestesia peridural é comumente usada durante o parto normal.

Anestesia local

A anestesia local é o procedimento anestésico mais comum, sendo usado para bloquear a dor em pequenas regiões do corpo, habitualmente na pele. Ao contrário das anestesias geral e regional, que devem ser administradas por um anestesiologista, a anestesia local é usada por quase todas as especialidades.

Esse tipo de anestesia geralmente é feito com a injeção de lidocaína na pele e nos tecidos subcutâneos, bloqueando os receptores para dor na pele e os nervos mais superficiais, impedindo que os mesmos consigam enviar sinais doloroso para o cérebro.

Cuidados pré-anestésicos

O jejum é uma das principais medidas de segurança no preparo pré-anestésico e é muito importante que seja respeitado o tempo mínimo orientado pelo médico.

O paciente deve estar com seu estômago vazio para evitar o vômito e então aspiração. Isso pode acontecer porque quando uma pessoa recebe anestesia os seus reflexos ficam diminuídos e ela não consegue expelir substâncias.

É muito importante que o paciente converse com o médico antes da cirurgia para contar se tem algum caso na família de problema com anestesia. O paciente também deve informar quais medicamentos toma e alimentos ou substâncias que tem alergia, já que não é possível saber se o paciente é alérgico à anestesia antes de realizá-la.

Kelp Med

A Kelp Med oferece a melhor experiência em materiais hospitalares para médicos, profissionais de saúde, hospitais, clínicas e para a rede pública de saúde, com preço competitivo e produtos exclusivos da marca Kelp Med. É possível parcelar as compras em até 6x sem juros no cartão de crédito, comprando diretamente pelo site ou WhatsApp. As entregas são feitas em todo Brasil, com frete grátis para o Rio de Janeiro nas compras acima de R$300.


Comments

Deixe um comentário